Em desenvolvimento > Mostra José Lewgoy

Filmografia de José Lewgoy

- CARNAVAL NO FOGO (1949), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Watson Macedo

- QUANDO A NOITE ACABA ou PERDIDA PELA PAIXÃO (1950), Artistas Associados, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Fernando de Barros.

- KATUCHA (1950), George (Jiri) Dusek Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Paulo Machado.

- AVISO AOS NAVEGANTES (1950), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Watson Macedo.

- CASCALHO (1950), Sul Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Léo Marten.

- MAIOR QUE O ÓDIO (1950), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de José Carlos Burle.

- AÍ VEM O BARÃO (1951), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Watson

- BARNABÉ TU ES MEU (1951), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de José Carlos Burle.

- AREIAS ARDENTES (1951), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, doreção de J.B:Tanko.

– AMEI UM BICHEIRO (1952), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Jorge Ileli e Paulo Wanderley.

– OS TRÊS VAGABUNDOS (1952), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de José Carlos Burle.
 
– CARNAVAL ATLÂNTIDA (1952), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de José Carlos Burle.
 
– OS TRÊS RECRUTAS (1953), Atlântida Cinematográfica e Cinelândia Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Eurides Ramos.
 
– CARNAVAL EM CAXIAS (1953), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Paulo Wanderley.
 
– MATAR OU CORRER (1954), Atlântida Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Carlos Manga.

 – S.O S. NORONHA (1956), Co-produção Brasil-Rio de Janeiro / França-Paris / Itália-Roma e Alemanha-Berlim, direção de George Rouquier.

– ESCAPADE (1957), Produção francesa, Pathé Conéma, França / Paris, direção de Ralph Habib.

 – LES FANATIQUES (1957), Produção estrangeira, Co-produção C.G.C / Cinégraph, França-Paris e Regent, Itália-Roma, direção de Alex Joffé.

 – QUAND SONNERA MIDI (1957), Produção estrangeira, Co-produção Cinédis, França-Paris / Itália-Roma, direção de Edmond T.Gréville.
 
– QUATRO MULHERES PARA UM HERÓI (1962), Co-produção: Imperial Filmes (Rio de Janeiro), Procidis Films (Paris-França) e Nestor F.Gafet (Buenos Aires-Argentina), direção de Leopoldo T.Nilson.

 – HISTÓRIA DE UM CRÁPULA (1965), Magnus Filmes e Produções Cinematográficas Herbert Richers, Rio de Janeiro, direção de Jece Valadão.

– UMA ROSA PARA TODOS (UNA ROSA PER TUTTI) - (1965), Produção italiana, Vides Cinematográfica (Roma, Itália), direção de Franco Rossi.
 
– ARRASTÃO (LES AMANTS DE LA MER) - (1966), Produção francesa, Sumer Films (Paris, França), direção de Antoine D’Ormeson.

– DUELO NEL MONDO (DUEL DANS DE MONDE) - (1966), Co-produção Roma / Itália e Paris / França, direção de Edmond T.Gréville.

- AS CARIOCAS (3 episódios) - (1966), Wallfilmes (Rio de Janeiro) e A.A.S.Filmes (São Paulo), direção de diversos diretores: Fernando de Barros, Walter Hugo Khouri e Roberto Santos.

- MERCENÁRIOS DO CRIME - 3º episódio: "Carnaval de assassinos" - (1966), Produção estrangeira
 
- TERRA EM TRANSE (1966), Mapa Filmes e Difilm, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Glauber Rocha.

- PALMEIRAS NEGRAS (Svarta palmkronor) - (1967), Produção suéca, Sandrews, Estocolmo / Suecia, direção de Lars Magnus Lindgren.

 – JERRY, A GRANDE PARADA (1967), Produções Cinematográficas Herbert Richers e Magnus Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Carlos Alberto de Souza Barros.
 
– ROBERTO CARLOS EM RITMO DE AVENTURAS (1967), Produções Cinematográficas R.F.Farias, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Roberto Farias.
 
– OS VICIADOS – 1º episódio: "A trajetória" – (1968), Magnus Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Braz Chediak.

- TARZAN E O MENINO DA SELVA (Tarzan and the jungle boy) - (1968), Co-produção Hollywood / USA e Berna / Suiça, direção de Robert Gordon.
 
- A VIDA PROVISÓRIA (1968), Saga Filmes, Produções Cinematográficas L.C.Barreto e Tecla Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Maurício Gomes Leite
 
- OS PAQUERAS (1968), Produções Cinematográficas R.F.Farias, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Reginaldo Faria.

– ROBERTO CARLOS E O DIAMANTE COR DE ROSA (1968), Produções Cinematográficas R.F.Farias, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Roberto Farias.
 
– OLHO POR OLHO (An Eye for an eye) (1968), TV Films e NBC, direção de Robert Gordon.
 
– OS OLHOS DO LEÃO (Eyes of the lion) - (1968), TV Films e NBC, direção de Robert Gordon.
 
– NÃO APERTA, APARICIO (1969), Cinematográfica Leopoldis Som, Brasil / Porto Alegre, Rio Grande do Sul, direção de Pereira Dias.
 
– A UM PULO DA MORTE – episódio: "A madona de ouro ou cedro" – (1969), Produções Cinematográficas Herbert Richers, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Victor Lima.
 
– A CAMA AO ALCANCE DE TODOS - 2º episódio: "A segunda cama" – (1969), J.B.Produções Cinematográficas, Grupo Câmara Produções Cinematográficas e D.F.Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Daniel Filho.
 
- PECADO MORTAL (1969), M.F.Produções Cinematográficas / C.N.Promoções e Publicidade / Gustavo Dahl Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, Direção de Miguel Faria Júnior.
 
– O BOLÃO (1970), Wilson Silva Produções Cinematográficas e Profilminas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Wilson Silva.

– OS AMORES DE UM CAFONA (1970), Horus Filmes e P.N.F., Brasil / Rio de Janeiro e São Paulo, direção de Osíris Parcifal de Figueiroa e Penna Filho.

– PRA QUEM FICA... TCHAU! (1970), Produções Cinematográficas R.F.Farias, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Reginaldo Faria.
 
– O DONZELO (1971), Allegro Filmes e Roberto Baker Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Stefan Wohl.
 
– LUA DE MEL & AMENDOIM – 2º episódio: "Berenice" – (1971), Cinedistri (São Paulo) e Sincro Filmes (Rio de Janeiro), Brasil /São Paulo e Rio de Janeiro, direção de Fernando de Barros.
 
– GAUDÊNCIO, O CENTAURO DOS PAMPAS – (1971), Gemini Produções Cinematográficas, Brasil / Porto Alegre (Rio Grande do Sul), direção de Fernando Amaral.
 
– A VIÚVA VIRGEM (1972), Sincro Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Pedro Carlos Rovai.
 
– QUANDO O CARNAVAL CHEGAR (1972), Mapa Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Carlos Diegues.

– O GRANDE GOZADOR (1972), Bennio Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Victor di Mello.

– INDEPENDÊNCIA OU MORTE (1972), Cinedistri, Brasil / São Paulo, direção de Carlos Coimbra.

– COMO ERA BOA A NOSSA EMPREGADA – 2º episódio: "O terror das empregadas" – (1972), Atlântida Cinematográfica, Kiko Filmes e Vidya Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Victor di Mello.

– OS MANSOS – 1º episódio: "A b... de ouro" (1973), Sincro Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Pedro Carlos Rovai.

 – GENTE QUE TRANSA – épisódio: "Os imorais" – (1974), Phoenix Filmes do Brasil, Brasil /Sâo Paulo, direção de Sílvio de Abreu.

– RELATÓRIO DE UM HOMEM CASADO (1974), Flávio Tambellini Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Flávio Tambellini.
 
– AS SECRETÁRIAS QUE FAZEM DE TUDO (1974), Atlântida Cinematográfica (Rio de Janeiro) e Phoenix Filmes do Brasil (São Paulo), Brasil / Rio de Janeiro e São Paulo, direção de Alberto Pieralisi.
 
– AS ALEGRES VIGARISTAS - 2º episódio: "O padre e a modelo" – (1974), CASB Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Carlos Alberto de Souza Barros.

– ASSIM ERA A ATLÂNTIDA (1975), documentário, Atlântida Cinematográfica e Carlos Manga Produções Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Carlos Manga.
 
- EU DOU O QUE ELA GOSTA (1975), Sincro Filmes e Plano Cinematográfica, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Braz Chediak, Cecil Thiré e Sindoval Aguiar.

- INTIMIDADE (1975), Relevo Produções Cinematográficas e Embrafilme, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Perry Salles e Michael Sarne.
 
- UM SOUTIEN PARA PAPAI (1975), CASB Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Carlos Alberto de Souza Barros.
 
- O HOMEM DE PAPEL (VOLÚPIA DO PRAZER ou VOLÚLIA DE UM DESEJO) – (1975), Nortefilmes do Brasil, Brasil / Fortaleza (Ceará), direção de Carlos Coimbra.
 
- PADRE CÍCERO (1975), Moraes Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Helder Martins de Moraes.
 
- O QUARTO DA VIÚVA (1975), Misfilmes, Brasil / São Paulo, direção de Sebastião de Souza.
 
- O IBRAHIM DO SUBÚRBIO – 2º episódio: "O Iibrahim do subúrbio" - (1976), Sincro Filmes, Lynx Filmes e Arte Nova Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Cecil Thiré.

- OURO SANGRENTO (TENDA DOS PRAZERES) - (1976), Zodíaco Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de César Ladeira Filho.
 
- DIÁRIO DA PROVÍNCIA (1977), Roberto Palmari Produções Cinematográficas, Topázio Filmes e Lynx Filmes, Brasil / São Paulo, direção de Roberto Palmari.
 
- AS AVENTURAS DE MOMO MONTANHA (JORDEN ER FLAD) - (1977), Co-produção Alter Filmes (Rio de Janeiro) e Det Danske Filminstitut (Capenhague), Brasil / Rio de Janeiro e Dinamarca / Copenhague, direção de Henrik Stangerup.

- O OUTRO LADO DO CRIME (1978), Topázio Filmes, Brasil / São Paulo, direção de Clery Cunha.

- CURUMIM (1979), Nau Filmes e Embrafilme, Brasil / São Paulo, direção de Plácido Campos Júnior.

- REPÚBLICA DOS ASSASSINOS (1979), Roma Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Miguel Faria Júnior.

- TERROR E ÊXTASE (1979), Artenova Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Antônio Calmon.

- OS MUCKER (JACOBINE) - (1980), ficção-documentário, Co-produção, ...... (São Paulo) e Stopfilm (Munique), Brasil / São Paulo e Alemanha / Munique, direção de Jorge Bodansky e Wolf Gauer.
 
- O GIGANTE DA AMÉRICA (1980), Magnus Filmes e Embrafilme, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Júlio Bressane.
 
- ENGRAÇADINHA (1981), Encontro Produções Cinematográficas e Embrafilme, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Haroldo Marinho Barbosa.
 
- FITZCARRALDO (1981), produção estrangeira, Co-produção Filmverlag der Autoren, Pro-ject Filmproduktion, Werner Herzog Filmproduktion e Zweites Deutsches Fernsehen (ZDF) (Alemanha) e Wildlife Films (Peru), direção de Werner Herzog.
 
- TABU (1982), Júlio Bressane Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Júlio Bressane.

- PERDIDA EM SODOMA (1983), Empresa Cinematográfica Haway e Alfa Filmes, Brasil / São Paulo, direção de Nilton Nascimento.

- OS BONS TEM POS VOLTARAM – VAMOS GOZAR OUTRA VEZ – 1ºepisódio: "Sábado quente" – (1983), Cinearte Filmes, Brasil / São Paulo, direção de Ivan Cardoso.

- TENSÃO NO RIO (1984), Sombra Cinema e Comunicações, Produtores Associados, Produções Cinematográficas L.C.Barreto e Embrafilme, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Gustavo Dahl.
 
- FEITIÇO DO RIO (Blame it on Rio) - (1984), Produção estrangeira, Sherwood (USA), direção de Stanley Donen.
 
- O BEIJO DA MULHJER ARANHA (Kiss of the spider woman) - (1984), Co-produção H.B.Filmes (São Paulo) e Island Alive Film e Superloaf Films Inc (Hollywood), direção de Hector Babenco.
 
- OS TRAPALHÕES E O REI DO FUTEBOL (1986), Renato Aragão Produções Artísticas, Pelé-Saad Comunicações & Empreendimentos e Embrafilme, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Carlos Manga.
 
- A DAMA DO CINE SHANGAI (1987), Star Filmes e Raiz Produções Cinematográficas, Brasil / São Paulo, direção de Guilherme de Almeida Prado.
 
- COBRA VERDE (1987), Produção estrangeira, Werner Herzog Filmproduktion e Zweites Deutsches Fernsehen (ZDF) (Alemanha), direção de Werner Herzog.
 
- LUAR SOBRE PARADOR (Moon over parador) - (1988), Produção estrangeira, Universal Pictures (USA), direção de Paul Mazursky.
 
- O ESCORPIÃO ESCARLATE (1988), Topázio Filmes, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Ivan Cardoso.
 
- FESTA (1988), NDR Filmes, La Luna Filmes, Quanta Filmes e Embrafilme, Brasil / São Paulo, direção de Ugo Giorgetti.

 - FACA DE DOIS GUMES (Two edged knife) - (1989), Co-produção DWD Cinema, Videofilmes e Embrafilme (Rio de Janeiro) e Cinequanon, Hamster Productions, Storm Entertainment (Paris), Brasil / Rio de Janeiro e França / Paris, direção de Murilo Salles.

- OS SERMÕES (1989), Júlio Bressane Produções Cinematográficas e Embrafilme, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Júlio Bressane.

- STELINHA (1990), Filmes do Sol, Skylight Cinema, Palatinato Participações, Ensaio Geral Produções Artísticas e Embrafilme, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Miguel Faria Júnior.
 
- PERFUME DE GARDÊNIA (1992), Star Filmes e Raiz Cinematográfica, Brasil / São Paulo, direção de Guilherme de Almeida Prado.
 
- O JUDEU (1994), Co-produção Tatu Filmes, A&B Produções, Animatógrafo Produção de Filmes, Metrofilme Actividade Cinematográficas, Brasil / São Paulo e Portugal / Lisboa, direção de Jom Tob Azulay.
 
- MIL E UMA (1994), Co-produção 1001 Filmes (Rio de Janeiro), TVE –Televisión Española (Madrid), Gemini Films (Paris) e Madragoa Filmes (Lisboa), Brasil / Rio de Janeiro, Espanha /Madrid, França / Paris e Portugal / Lisboa, direção de Suzana Moraes.

- O MONGE E A FILHA DO CARRASCO (The monk and the hangman’s daughter) - (1995), Co-produção JBR Filmes (Rio de Janeiro) e KCK Productions (Hollywood), Brasil / Rio de Janeiro e USA / Hollywood, direção de Walter Lima Júnior.

- O QUATRILHO (1995), Produções Cinematográficas L.C.Barreto e Filmes do Equador, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Fábio Barreto.

- A HORA MÁGICA (1998), Starfilmes e Raiz Cinematográfica, Brasil / São Paulo, direção de Guilherme de Almeida Prado.

- POLICARPO QUARESMA (1998), Vitória Produções Cinematográficas, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Paulo Thiago.

- SONHOS TROPICAIS (2002), Centro de Cultura Cinematográfica Providence, Brasil / São Paulo, direção de André Sturm.

- APOLÔNIO BRASIL, CAMPEÃO DA ALEGRIA (2002), Mac Comunicação e Produção, Brasil / Rio de Janeiro, direção de Hugo Carvana.
 

- EU, EU, EU JOSÉ LEWGOY (2011), Tatu Filmes / Brasil, São Pauloi, direção: Cláudio Kahns.

EM DESENVOLVIMENTO

A stencil art de Celso Gitahy

A stencil art de Celso Gitahy

Livro resgata 30 anos de produção do artista, considerado precusor da arte urbana em São Paulo.

Eu nasci aqui - Fotolivro

Eu nasci aqui - Fotolivro

Fotolivro da performance Eu Nasci Aqui da artista Samira Br.

Lore Koch

Lore Koch

Documentário traz a vida e obra de Lore Koch, discípula de Alfredo Volpi, com mais de 50 anos de pintura. Direção: Jorge Bodanzky